Resenha: Flor de Cerejeira - Alana Gabriela


Sinopse: 

“Qualquer um pode cometer um erro.”

Yoko sempre teve uma vida relativamente boa e estável. Todo ano participava da organização do Festival Cherry Blossom, tinha amigos na escola, tocava violino e estava treinando para fazer parte da orquestra da Juventude de Macon quando tudo começou a dar errado. Seu pai causou um grave acidente e foi parar na prisão.

Sem a referência paterna, e com todos os problemas financeiros que se acumularam, o distanciamento da mãe, Naomi, que está a cada dia mais se afundando em trabalho, Yoko vê o que sobejou de sua família, totalmente desestruturado. Em meio à dor da perda, Yoko conhece Aidan Hirsch, um garoto que parece tão desestruturado quanto ela, taciturno e solitário, e que é capaz, acima de tudo, de não julgar, simplesmente ouvir. Aos poucos, um sentimento singelo e inefável ganha forma, surgindo uma história delicada de autoconhecimento, arrependimento, culpa e superação que poderá mudar a vida desses adolescentes se assim escolherem.


Título:
Flor de Cerejeira
Autora:
Alana Gabriela
Editora: Amazon
Ano de lançamento: 2016
Páginas: 283

Gênero: Drama/Romance



A história gira em torno de Yoko e sua vida após o pai ser preso por atropelar um homem e fugir do local sem prestar socorro. Ela se torna alvo das pessoas de sua cidade e então sofre uma série de episódios tristes, desde seu total isolamento na escola até agressões físicas. Tudo pelo o que seu pai cometeu.

A história em si é muito interessante, mostrando o ponto de vista de alguém próximo ao acusado, que nada teve a ver com o acidente, mas mesmo assim sofre nas mãos da sociedade em que vivemos. É sobre discriminação e bullying. Num linguajar mais atual, poderíamos dizer que esse livro “é muito Black Mirror”! 


Alana quis nos mostrar como o bullying afeta a vida de uma pessoa. Yoko, que junto de sua mãe teve de enfrentar os problemas jurídicos e financeiros pela prisão do pai, ainda teve que continuar vivendo sua vida, mas agora às sombras, pois todos os que estavam com ela, a abandonaram. Então, ela se aproxima de Aidan, um outro garoto com seus demônios internos e juntos eles buscam uma forma de melhorar tanto interna quanto externamente.

“As pessoas têm uma maneira estranha de tratar o medo, de como combate-lo, e percebi que é humilhando os outros.”
O livro é uma grande obra. A autora foi muito fiel à cultura oriental, salientando diversos hábitos e costumes do povo japonês. Sua construção foi forte, e ela soube dosar cada momento da história. Há muito mais narrações da própria Yoko do que diálogos em si, o que nos deixa mergulhar na mente e no coração da personagem, compreendendo o lado dela e vendo seu ponto de vista das coisas. É óbvio que, como em praticamente todo romance, nós temos um casal que torcemos para ficarem juntos no final, mas o foco principal nem é esse, o que torna a história muito melhor.É o tipo de livro que nós lemos, terminamos e pensamos “Meu Deus, que livro maravilhoso!”. É uma leitura que não tem como não recomendar para alguém!
猫 に 小判 (Neko ni koban – lançar pérolas aos porcos) “Não faça nada para aqueles que não sabem apreciar o esforço alheio.”
“Um ato pode definir um aspecto de comportamento, mas cabe a você escolher se isso te definirá para sempre.”



Sobre a autora:

Alana Gabriela (ou só Gabriela, como ela prefere), nasceu em 11 de Março de 1996, em Aracaju, Sergipe. Atualmente com 20 anos, ela já publicou 5 livros, todos disponíveis para compra em e-book na Amazon. Está cursando Letras (Português-Inglês) na UFS. Ela é irmã mais velha de gêmeas que jogam vôlei pela seleção sergipiana. Além de escritora, também já compôs músicas em inglês. Curte ler dicionários (sim, dicionários!) e é apaixonada por línguas novas.



6 comentários:

  1. Hellooo, Abby! Tudo numa nice?!
    Que resenha lindeza... adorei que incluiu essas cerejeiras lindas no post. Essa é a minha flor favorita da vida ahahah. Então, muito obrigada por ter gastado tempo para fazer a leitura do meu livro; fico mais feliz ainda por você realmente ter gostado e por transmitir isso através de sua resenha. Acredito que Black Mirror é uma série ou algo do tipo, já vi o nome, mas não sei nada por isso vou procurar por aí ehehe. Valeu pela indicação. *-* Muito feliz por ter curtido as dosagens da cultura japonesa que inseri - para mim foi bem divertido descobrir tantas coisas que sempre estiveram distantes do meu alcance.
    Enfim... novamente, muito obrigada por essa resenha lindeza.
    Beijin... :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Alana!!!
      Poxa, sério? Eu também, sou apaixonada por elas haha
      Imagina! Foi um prazer ler sua história. Eu sou muuuuito maria hashi (até tenho um blog voltado a cultura oriental) e assim que li sua sinopse eu apenas precisava ler esse livro hahaha.
      Black Mirror é uma série da Netflix, muito boa por sinal, recomendo ♥
      Como eu já to inserida na cultura oriental há alguns anos, tudo que é relacionado a ela eu procuro conhecer, então seu livro foi um grande acréscimo! Continue com o lindo trabalho, e obrigada pela oportunidade!!
      Beijão ♥

      Excluir
  2. Oi, Aline!
    Eu adoro esse livro da Alana. É um dos meus favoritos dela! Acho tão linda essa história.
    Beijos
    Balaio de Babados
    Sorteio Literário de Carnaval
    Sorteio Três Anos de Historiar

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que maravilha! Obrigada por mais uma visita!
      Beijos

      Excluir
  3. Olá Alline, tudo bem?
    Não conhecia o livro e nem a autora, mas amei a premissa do livro.
    Gosto de histórias que nos fazem refletir, que nos ensinam algo.

    Beijos e seguindo aqui...

    http://excentricagarota.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

© BL Designer 2017. Todos os direitos reservados || Tudo aqui é feito com amor.
Criado por: Bianca Layouts ♥ EXCLUSIVO! ♥ .
Tecnologia do Blogger .
imagem-logo